Tratamento de esgoto pelo método UASB + Filtro BIológico

Porque o sistema UASB+Filtro biológico é o melhor?
O sistema Delta Ambiental tem, entre outras vantagens, as seguintes:
Fácil instalação
Tecnologia de ponta
Remove até 90% de DBO (Demanda Bioquímica de Oxigênio) do esgoto doméstico
Equipamentos leves e duráveis
Baixos custos (1/3 do convencional)
Trata esgotos de 06 a 3.000 pessoas
Ideal p/residências, condomínios, restaurantes, hotéis, hospitais, escolas, etc
5 anos de garantia
Possibilidade de reuso da água após tratamento adequado (cloração, ozonização, ionização, etc)
Instalação interna ou aparente
Comparativo entre UASB e fossas simples
Para efeito de comparação com outros processos, pode-se frisar as seguintes características do digestor de fluxo ascendente:
O sistema não exige nenhum equipamento mecânico ou elétrico; basta que o esgoto a ser tratado seja encaminhado ao tanque digestor;
não ocorrem problemas operacionais e, conseqüentemente, não são necessários especialistas para operar o digestor; a operação do sistema é tão simples quanto de uma fossa séptica doméstica;
O volume do tanque e a área para a instalação são extremamente reduzidas.
O tempo necessário para o tratamento dos esgotos no digestor de fluxo ascendente é de quatro a oito horas, para uma faixa de temperatura de 35 a 12°C e sem entrada de substâncias tóxicas. Esse tempo de retenção só é comparável aos sistemas compactos que empregam aeradores mecânicos ou compressores altamente sofisticados. Para outros sistemas aeróbios, são necessárias pelo menos 24 horas e nas lagoas de estabilização, cerca de 5 a 20 dias;
A qualidade do esgoto tratado pelo digestor de fluxo ascendente é quase tão boa quanto àquela obtida nos processos convencionais com aeradores ou com lagoas;
Para efeito de comparação do reator RAFA com fossas sépticas comuns, pode-se citar o seguinte:
Diferenças físicas: o reator é um tanque desenvolvido especificamente para promover as condições ideais para que as bactérias anaeróbias sobrevivam e utilizem o esgoto da maneira mais eficiente, degradando-o com rapidez. Isso se reflete em seu formato, medidas, proporcionalidade, conicidade, acessórios internos, existência de bitolas de tubos diferenciadas internamente que promovem a velocidade ideal de movimentação do lodo, etc. As fossas sépticas são tanques simples que apenas receptam a matéria orgânica e não possuem nenhum elemento interno que promova o tratamento mais acentuado;
Tempo de retenção: as diferenças físicas entre um reator e uma fossa séptica, citadas acima, tem relação direta com o tempo de retenção da matéria orgânica: um reator RAFA tem tempo de retenção de 4 a 8 horas, enquanto que as fossas podem chegar a ter um tempo de retenção de dias. O tempo de retenção é o tempo que a matéria orgânica precisa permanecer no tanque para que haja degradação biológica, ou seja, em curto espaço de tempo, o reator trata muito mais matéria orgânica que uma fossa.
Resultados: a eficiência e os resultados do
Para efeito de comparação do reator UASB em funcionamento conjunto com o filtro biológico chegam a 90% de remoção de DBO (demanda bioquímica de oxigênio), produzindo um efluente que poderá ser disposto convenientemente sem causar danos e agressões ao meio ambiente, solos e lençóis freáticos, alem de atender plenamente aos padrões exigidos pelos órgãos fiscalizadores e ambientais. O efluente final gerado pelo tratamento de uma fossa séptica contém alto índice de DBO e causa agressões em sua disposição, não sendo eficiente nesse sentido e nem aceito pelos órgãos fiscalizadores.
Manutenção: os reatores são tanques totalmente fechados, estanques, que dispensam manutenção. Somente é necessária a limpeza através de caminhões limpa-fossas esporadicamente, a cada 3 ou 4 anos. Não há possibilidade de vazamentos. Já as fossas, com o tempo de uso podem sofrer impermeabilização de suas paredes, diminuindo a capacidade de infiltração de seu efluente, provocando vazamentos desagradáveis.
Biogás: os reatores possuem um subproduto da degradação da matéria orgânica, o gás metano, também conhecido como biogás. Esse gás pode ser usado para os mais diversos fins: iluminação, uso em veículos, fogões, obter créditos de carbono e outros. Em um digestor anaeróbio de fluxo ascendente, o gás equivalente ao esgoto de 10 habitantes é suficiente para atender às necessidades de cocção em fogões de um habitante. A reutilização desse biogás, todavia é viável apenas em sistemas de grandes proporções, uma vez que a geração de metano em sistemas domésticos é irrisória e não convém devido ao investimento necessário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga por Email